Buscar

Endometriose pode causar infertilidade - cólicas intensas e incapacitantes são um alerta

Atualizado: 1 de jul. de 2019

A endometriose é uma das principais causas da infertilidade, diagnosticada em cerca de 25% a 50% das mulheres com dificuldade para engravidar. Trata-se de uma inflamação das células do endometrio quando elas se alojam fora da cavidade uterina. O endométrio é a mucosa interna do útero que escama normalmente durante a mesntruação. Acontece que, em algumas mulheres, essas células podem pegar o "caminho errado", indo parar em outros órgãos como trompas, ovários e até na bexiga e no intestino. Como essas células não são "reconhecidas" fora do útero, ocorre uma inflamação que pode provocar dores intensas e até o enrijecimento de alguns órgãos. No caso das trompas e ovários, essa rigidez acaba comprometendo a fertilidade. Mas vale ressaltar que diangóstico de endometriose não é uma sentença! Existem tratamentos e há, sim, casos de mulheres que conseguem engravidar mesmo com o problema. 


CÓLICAS INCAPACITANTES SÃO UM ALERTA PARA A DOENÇA


Se você sente cólicas cada vez mais intensas, incapacitantes, que chegam a comprometer sua rotina, sua vida profissional e até seus relacionamentos, seu quadro merece atenção! A endmetriose é uma das doenças que podem causar dores abdomnais intensas e, se não tratadas, até levar à infertilidade. Infelizmente, da instalação dos primeiros sintomas até o dinagnóstico correto leva-se em média sete anos! Isso por que, a mulher costuma ouvir coisas como "isso é normal", "com o tempo melhora"...

Mas quando se trata de endometriose, as cólicas só pioram. Além das cólicas fortes, outros tipos de dores abdominais também podem aparecer como: dores pélvicas, dor profunda durante a relação sexual, dor para urinar ou para evacuar durante a menstruação e dor pélvica fora do período menstrual.


O importante é procurar uma especialista, pois o diagnóstico é complexo: exige exames de imagem específicos e exame clínico. O tratamento leva em conta diversos fatores como idade, grau da doença e tempo de infertilidade.


Dra Nahtalie Raibolt

Ginecologista, especialista em Patologia Cervical e Vulvar

CRM 5288532-0

25 visualizações