Buscar

Nem tudo que coça é Candidíase!

Aquela coceirinha aparece e você já pensa em candidíase? Pois saiba que sentir a vulva coçar de vez em quando pode até ser normal. Agora, se a coceira é persistente e interfere no seu dia a dia, é importante descobrir a causa e tratar de forma correta. O problema é que a maioria das mulheres assumem que toda coceira é por candidíase. É comum se medicarem com pomadas, óvulos ginecológicos e até remédios orais para essa finalidade. E por várias vezes seguidas!

Acontece que existem outras possíveis causas para a coceira vulvar:

➡️ Alergias e irritações por causa de suor, roupas apertadas, produtos de higiene e higiene em excesso, método de depilação; ➡️ Eczemas, dermatites e outras doenças de pele que acontecem na vulva; ➡️ Vulvodínia, infecções bacterianas e doenças sexualmente transmissíveis (como a trocomoníase) ➡️ Vaginites não infecciosas como vaginose citolítica e vaginite descamativa.

Todas estas condições podem ter a coceira como um de seus sintomas. E claro, sozinha você não vai saber diferenciar! O tratamento inadequado pode até amenizar a coceira momentaneamente, mas não acaba com o problema de forma definitiva e a coceira pode voltar, às vezes até com mais intensidade. Portanto, se você está se identificando com o que escrevo, procure sua ginecologista para uma avaliação adequada, um diagnóstico preciso e um tratamento eficaz.

Gostou do post? Então, me acompanhe que vou falar mais sobre o assunto. Em breve vou dar dicas de algumas mudanças que você pode fazer para amenizar a coceira e aguentar até a consulta com o ginecologista, sem apelar para a automedicação.

Dra Nathalie Raibolt Ginecologista, especialista em Patologia Cervical e Vulvar CRM 5288532-0 www.facebook.com/dranathalieraibolt

25 visualizações