Buscar

Como fica a sexualidade depois do câncer de mama?

Sempre que somos submetidas a algum tratamento, vem aquela preocupação do que pode acontecer como consequência dele. E quando se pensa em câncer de mama, os impactos podem ser bem importantes. As alterações físicas decorrentes da quimioterapia, hormonioterapia e tratamento cirúrgico interferem diretamente na sexualidade, levando a muitas alterações no funcionamento sexual. O tema é discutido amplamente em diversos países, mas no Brasil ainda é tabu. O fato é que entre 35% e 50% de mulheres que tiveram câncer de mama sofrem com alguma disfunção sexual. Aém dos impactos físicos, também surgem medo da perda da fertilidade, mudanças da imagem corporal, sentimento de não ser sexualmente atraente, medo de perder o parceiro, depressão e ansiedade. A mastectomia pode afetar profundamente a autoestima, não só pela aparência, que muitas vezes é driblada pela cirurgia corretiva imediata, mas porque a mama é um grande símbolo do feminino.

Existem estratégias para driblar as alterações físicas do tratamento: lubrificantes adequados para minimizar a secura vaginal, laser local para estimular a produção de colágeno, perucas, sutiãs com enchimento…

O nível de conexão com o parceiro é o fator mais importante para a manutenção da função sexual após o tratamento. O suporte psicológico tanto para a mulher como para o casal é fundamental. É preciso ressignificar a sexualidade e se abrir para possíveis mudanças na prática sexual. Se não houver tabus, essa experiência pode acabar sendo surpreendente. Vale ressaltar que sexo não é só penetração. E, sim, é possível ter prazer mesmo durante o tratamento — lembrando que muitas chateações, como a queda na libido, vão embora depois.

Mais uma vez, o importante é contar com uma boa rede de apoio. Uma ginecologista especializada e uma terapeuta sexual podem ajudar, e muito, durante todo esse processo. Se você conhece alguém que está passando por essa fase, mande esse post pra ela!

Dra Nathalie Raibolt Ginecologista, especialista em Patologia Cervical e Vulvar CRM 5288532-0 www.facebook.com/dranathalieraibolt

#outubrorosa #sexualidade #cancerdemama #prevencao

3 visualizações