Buscar

Vaginismo tem cura

Quem sofre com vaginismo, geralmente, demora a encontrar tratamento. Muitas vezes, por falta de informação. O vaginismo é caracterizado pela contração INVOLUNTÁRIA dos músculos da vagina (e até das coxas) durante ou antes da penetração. Em alguns casos, só de pensar na penetração. Essa contração causa muita dor e afeta a vida da mulher de diversas formas, pois pode ocorrer mesmo em situações cotidianas como ao usar um absorvente interno ou durante exames ginecológicos. O problema, às vezes encarado como "frescura", faz com que a mulher se sinta fragilizada e incapacitada para o sexo. É comum pacientes relatarem já ter escutado frases como "você precisa relaxar" ou "toma um vinho que passa". Mas nada disso ajuda, porque é involuntário e difícil de controlar sozinha. O que ajuda é procurar tratamento adequado, com profissionais capacitados. . As causas podem ser físicas (como alguma infecção, cirurgia ou alguma dor que a mulher sentiu em determinado momento da vida) e psicológicas (crenças sobre a penetração, traumas passados, tabus, educação repressora). E o tratamento é multidisciplinar, podendo incluir fisioterapia pélvica, exercícios de relaxamento da musculatura, técnicas de respiração, inserção de dilatadores vaginais e psicoterapia. É importante procurar um profissional especializado em sexualidade, que esteja capacitado para acolher uma mulher que, muitas vezes, já está com a autoestima comprometida. . Se você sofre com vaginismo ou conhece alguém que tenha este problema, entenda: dor na relação não é normal!

Dra Nathalie Raibolt Ginecologista, especialista em Patologia Cervical e Vulvar CRM-RJ - 5288532-0 www.facebook.com/dranathalieraibolt

25 visualizações