Buscar

Mitos sobre o HPV que podem te prejudicar

Fake news quando o assunto é saúde pode prejudicar (e muito!) uma população inteira! Isso é uma realidade quando o assunto é HPV. Veja abaixo algumas das mentiras mais comuns que circulam por aí e podem colocar a sua saúde em risco:

MITO 1: Tenho HPV, vou ter câncer do colo do útero - Em primeiro lugar, nem todo HPV causa câncer. Existem mais de 100 variedades de HPV. Destes, 2 subtipos aumentam significativamente o risco do câncer do colo uterino – subtipo 16 e 18. Na verdade, a maioria das pessoas se cura espontaneamente do HPV, mas nas mulheres em que o vírus é persistente, é possível tratar e diminuir os riscos da doença, se a lesão precursora é detectadas precocemente. Por isso, a importância do exame preventivo a cada 3 anos.


MITO 2: A vacina causa muita reação, melhor não imunizar as crianças - Esse é o mito mais perigoso! A vacina contra o HPV  É SEGURA! Desenvolvida a partir de proteínas virais (e não pelo vírus em si), ela é incapaz de desenvolver a doença, portanto, o risco de infecção para quem toma é ZERO! O cuidado com possíveis reações é o mesmo para todo tipo de imunização: não ter alergia aos componentes, não estar grávida, não ter doença aguda, nem febre, nem problemas sanguíneos!


MITO 3: Se tivesse usado preservativo não pegaria HPV - O uso de preservativo consegue prevenir cerca de 70% a 80% do contágio pelo HPV, uma vez que algumas partes da pele que entram em contato durante o ato sexual ficam expostas e podem estar contaminadas. No entanto, o seu uso é recomendado uma vez que diminui o risco de contágio e pode também prevenir outras doenças como HIV, hepatite B, sífilis, clamídia, entre outras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

MITO 4: mulheres vacinadas contra o HPV não precisam fazer o exame Papanicolaou - A vacina contra o HPV não protege contra todos os tipos de HPV que causam o câncer de colo do útero. Todas as mulheres sexualmente ativas ainda precisam fazer os exames de Papanicolaou regularmente, mesmo que estejam vacinadas contra o HPV.

MITO 5: Se não tem verruga, não tem HPV - Na grande maioria dos casos, a infecção não apresenta sintomas nem manifestações a olho nú. Algumas pessoas podem apresentar verrugas, mas em outros casos, a doença pode levar até 20 anos para se manifestar, ainda assim a pessoa pode transmitir o vírus sem saber.

MITO 6: A vacinação favorece o início da atividade sexual em meninas – Estudos mostram que meninas vacinadas não iniciam a vida sexual mais precocemente por conta da vacina. É importante que a vacina seja feita antes do início da vida sexual. Isso aumenta sua capacidade de proteção. A vacina está disponível no SUS para meninas com idade entre 9 e 14 anos e meninos de 11 a 13 anos, mas mulheres de todas as idades podem tomar a vacina em clínicas particulares.


MITO 7: Quem teve verruga tem mais risco de ter câncer. Há vários tipos de HPV e alguns deles têm alto potencial de desenvolver câncer. Porém, os subtipos que causam verrugas com maior frequência são de baixo potencial de causar câncer. Por isso, mulheres que já tiveram verrugas genitais devem fazer o preventivo com a mesma frequência daquelas que nunca tiveram, a cada três anos (entre 25 e 65 anos).


Se você quer saber ainda mais sobre HPV, consulte a galeria de vídeos aqui no site! Ou me acompanhe nas redes sociais:

www.facebook.com/dranathalieraibolt

Instagram: @nathalieraibolt

114 visualizações